maisum.

é só mais um: dia, minuto, texto.

Meu medo é de não sentir mais. Janeiro 26, 2010

Filed under: merda,mulherzinha,what's inside — paulamaria @ 9:17 pm
Tags: , , ,

E esquecer como é que era. A gente já foi tão unha e carne, tão coração e tripa, tão tudo ou nada. Do tipo andar na praia, falar mil horas no telefone, sussurrar no msn, tomar sorvete, ir no cinema, matar aula, escrever carta, mandar bilhete, beijo no ar, choro na chuva, abraço quente. Mas aí do nada tudo foi se perdendo e eu não sei mais se quem largou de mão foi você ou se meu sentimento com o mundo te fez me ver com olhos que não era mais de amor. Já matutei muito sobre nós, o que restou foram nós de tristeza e saudades. Fingir que não vejo, te tiro dali e aqui, fui apagando aos poucos as pegadas de giz, dos tempos das calçadas e dos porres sem álcool. Era engraçado e estranho toda aquela afinidade. Eu me fazia bem feliz e eu dormia com sorriso de quem sabe a quem pertence uma amizade. Outra coisa: o que foi que aconteceu com as promessas? Sei que beijos não são contratos, mas a gente nunca se importou com isso. Era bem do pra sempre que vivíamos. Em algum lugar dessa linha, o verso desandou. E aí a música se fez descompasso. Quando me veem, já me veem sem um pedaço de mim. Perdi vários. Seus e de outréns. Nunca pude dizer pra você parar que eu queria consertar, se é que teve conserto algum dia. Tentei te gritar, mas você não olhou pra trás. Uma história estranha constrói perante meus olhos. É tão perto mas parece milhas daqui. Se eu reler, vou morrer mais um pouco. Deixo aqui então pra você ler um dia. Quem sabe. O que é ter e perder alguém.

Anúncios
 

Vá em paz. Janeiro 21, 2009

Filed under: diariamente,merda,what's inside — paulamaria @ 4:01 am
Tags: , , , , , ,


florzita de vovó

Descanse em paz, vovó flor de formosura.