maisum.

é só mais um: dia, minuto, texto.

Eu preciso. Abril 29, 2009

Filed under: diariamente,merda,what's inside — paulamaria @ 1:38 am
Tags: , ,

Hoje me dei conta que preciso de um pouco de paz. De tempos em tempos me vejo mais à flor da pele do que sou normalmente. Qualquer coisinha já me faz chorar de raiva, qualquer erro de alguém já me irrita muito e as coisas do mundo com as quais não estou satisfeita (não estarei tão cedo e são MUITAS coisas) me sufocam de um jeito que juro, fico sem ar. Fica aquele nó na garganta, aquele engasgo, aquele pigarro volta à cena. Eu bem que tento dar um jeito, sabe? Ouvindo minhas músicas “violentas” – que amo de paixão – e fuzilando tudo que detesto com o pensamento e olhar. Mas não funciona. Quando tiro os fones do ouvido, o mundo real me dá uma rasteira. Estou tentando ser uma boa menina. Acabei de tirar o Tool da vitrola e coloquei um The Lost Patrol, pop inocente, melosinho e romântico. Mais cedo, quando voltava da Ufes sozinha – nota: num 507 após um dia de correiria – me dei conta do quanto gosto de olhar a cidade lá de cima da ponte, principalmente à noite. Todas aquelas luzinhas lindas, tudo parece mais uniforme e dói menos pensar que ali tão todos iguais aos meus olhos. Passou um rebocador por debaixo de nós, bonito que só. O colorido das luzes nas ondas feitas pelo barco. Dei uma espairecida. Mas ainda assim, alguma coisa incomoda. Perdi um monte de coisa “bonita” que queria escrever. No ônibus eu não teria paz pra isso, e mais,  o sanfonado não me dá estabilidade pra arrumar papel e caneta confortavelmente. Vai ver o tempo passou e além das músicas lights eu também perdi a boa vontade das coisas. Perdi a paciência com as pessoas. Perdi o credo em muitas coisas. Vai ver é só a tpm. Vai ver.

“… que a confusão quem fez fui eu, fui eu.” (Herbert Vianna)

Anúncios
 

Sem título, mas com pra ficar bonito. Novembro 28, 2008

Filed under: diariamente — paulamaria @ 1:38 am
Tags: ,

Sem título. Só para constar a minha enorme insatisfação comigo mesma de não ter feito tudo o que deveria ter feito, e, o desespero de pensar no semestre que vem. Ainda tem a raiva de ter que largar uma matéria para trás – coisa que não fiz ainda e estou no sétimo período – porque colocaram a louca da Thaís para nos dar aula novamente. E peitinho pirâmide twice, NÃO rola. Para me dar um gás na situação, me nasce um alienígena no meu couro cabeludo. Tá doendo pacas e eu não sei mais o que fazer. Não dormi noite passada e provavelmente não irei nessa noite aussi. Mas tudo bem, gente, tudo bem. I will survive. Estou cansada do meu corte de cabelo, e isso é um comentário muito fútil perto das coisas que tenho que cumprir e perto dos montes de pessoas desabrigadas e alagadas pelo ES e Brasil afora. Isso tá me preocupando muito & é algo que me inquieta por não ter a mínima idéia se posso fazer alguma coisa para ajudar. Vi uma menina jogando papel de bala no chão hoje, na fila do terminal de ônibus. Me deu aquele sentimento que tem sido recorrente: ódio. Dá muita vontade de gritar com a pessoa, e fazer ela pegar o lixo do chão com a boca. Afinal de contas, a lixeira estava a menos de DOIS passos dela. “A maior expressão da angústia, pode ser a depressão, algo que você pressente. Indefinível, mas não tente se matar, pelo menos essa noite não. Essa noite não.” By Lobão.

 

É noite. Novembro 18, 2008

Filed under: diariamente,merda — paulamaria @ 12:59 am
Tags: , ,

Só estou aqui para não passar em branco esse cansaço. Hoje um colega Psi fez uma constatação curiosa. Quando estamos cansados, exaustos, fazemos questão de dizê-lo, e, com isso, nos sentimos bem e é pelo fato que simplesmente precisamos dizer que estamos. Cansados, enfim. Uma auto-afirmação, entende? Estou num nível de nervosismo e estresse gi-gan-tes. Além da  famigerada t.p.m, temos os fantasmas de mil trabalhos que nunca consigo fazer “muito” antes do prazo – leia-se um dia antes – , mais uma seleção de intercambistas que desmarcam horário ao deusdaráepaulaquesedane. Haja paciência e tensão nos meus ombrinhos. Amanhã tem yoga, mas é tão cedo (07.15h!) que dá vontade de desistir. E não é da yoga. Pelo menos estou focada em planos (muito) futuros. Agora, vou tentar descansar. 

 

p.s. Não tenho gostado do meu jeito de escrever aqui. Estranho e simples demais. Estou “emburrecendo”?