maisum.

é só mais um: dia, minuto, texto.

te escrevi uma carta. Agosto 14, 2019

Filed under: Uncategorized — paulamaria @ 11:38 pm
faz alguns dias que o verso de uma música se repete na minha cabeça: “i wanna touch a human being”. geralmente, quando escuto a música até cansar, o pensamento cessa. não foi o caso dessa vez. resolvi então investigar um pouco mais a fundo porque não consigo parar de pensar nela. de repente, outro verso aparece e fala mais um pouco de mim para mim: “something lonelier, something lonelier than death”. esses dois versos, de músicas distintas, fazem na minha cabeça um hit combo perfeito para exprimir – mesmo que em parte – o que tenho sentido e vivido nas últimas semanas. a intensidade que evitei por meses atravessou a barragem e eu não sei mais segurar. (explode coração). então é a hora de finalmente parar de tentar controlar e respeitar o meu ritmo. como eu te disse, depois daquela festa, eu entendi o que vi em você e entendi os efeitos do que vi em mim. ver você com suas dores tão expostas expôs o que eu tentava resolver/esconder de mim e dos outros. e, desde então, me reencontrar com você – e com isso – é duplamente difícil para mim. é bom e é horrível. é gostoso e é doloroso. é definido e é sem contorno. sinto potência em nosso encontro, em nossas conversas, no jeito que nos olhamos, no jeito que nos tocamos. e também sinto muito medo de tudo isso. quando fecho o portão de ferro, entro no carro e dirijo para casa, um outro ciclo começa sem que eu consiga ignorar. o pensamento toma conta da ação, ando em círculos e “tudo tem 3 lados”. a conta parece que não fecha. você some até o próximo alô e tudo recomeça sem recomeçar de fato. já disse, para mim e para você, que isso precisa ter um fim, mas a verdade é que preciso para coragem de sair dessa relação que nem sei se existe. terminar algo que não tem um começo (para mim tem). me paraliso perante todas as coisas que tento e não consigo controlar. estática, me vejo muito diferente do que sempre fui. o passado me condena com culpa de coisas que não posso mudar. o futuro me assombra com sua incerteza. e o presente? dele, sei que gosto de você e que eu vou embora. essa frase também me persegue faz alguns dias. agora aqui, junto de tantas outras, consigo montar um pedaço do quebra cabeça sentimental. um retrato. uma colagem. uma costura. entendi que preciso de disponibilidade, de cuidado, de não temer. como em outro verso, “you can’t possibly give what i want from you”. aí, dito isso, sigo tentando entender e encontrar meus outros pedaços. que outros versos me encontrem, que outros olhares façam sentido.
 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s