maisum.

é só mais um: dia, minuto, texto.

Maio 19, 2014

Filed under: Uncategorized — paulamaria @ 8:50 pm
Tags:

Curar por sobre as cicatrizes. Às vezes, os cortes não se configuram aparentemente profundos, mas o que parece, certamente não o é. Quando lhe é imposto ao coração sentir, não pode haver outra designação mais digna e exata, ainda que descompassada, a este. Forte como uma verdadeira bomba, e fraco, como se quebra um vidro, um ovo, uma cabeça. Outra, que é forte como um cofre, esconde segredos, envolve mistérios e ainda é caixa para os traiçoeiros olhos. Mas é frágil, frágil, desmancha-se em um nó no pescoço, perde-se por um nonagésimo beijo, confunde-se em si mesma por um doce e antigo deletério. De que valem as piscadas, os carinhos, os mil elogios, as redundâncias, se o que eu vejo, é o mar. O beco? Não, o mar. Ele está ali, e grita. Grita como se fosse acabar. Sozinho, gelado azul. EI! Também estou azul e gelada. Vou me misturar. Ao azul, ao mar, ao céu, ao céu, ao além. [te espero no infinito]. 

2006 ou 2007, 22:18h.

Anúncios
 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s